Cura Dente
 
 
 

Tive minhas 12+ obturações de amálgama removidas de minha boca „cravejada de prata“ sem que se seguisse nenhum protocolo especial de proteção e, felizmente, sem vivenciar quaisquer efeitos adversos como consequência1. Uma razão pode ter sido que seguia uma dieta saudável e um estilo de vida de baixa toxina, já que li sobre o vegetarianismo e o adotei quando tinha 22 anos de idade.

Outros, como o eminente pesquisador e perito sobre a toxicidade da amálgama e sobre a quelação, o Dr. Dietrich Klinghardt, quase veio a morrer de falência dos rins várias semanas após suas obturações serem removidas numa idade semelhante àquela em que tive o procedimento realizado (aos 27 anos – naquela época o Dr. Klinghardt já sofria de artrite, possivelmente em razão de uma fragilidade constitucional inata do seu corpo). Isso o alertou e sensibilizou para o assunto da toxicidade dos metais pesados e da sua desintoxicação que ele, desde então, estabeleceu como uma de suas especialidades.4

Outra história dramática trata de um médico de 52 anos de idade que gozava de boa saúde. Após a substituição de suas amálgamas de mercúrio, ele imediatamente (em 2 semanas) ficou doente, desenvolveu uma cardiomiopatia dilatada idiopática2 (CMDI). Sem um transplante emergencial de coração ele não teria sobrevivido. Curiosamente, um coração afligido com CMDI possui níveis de mercúrio 22.000 X mais altos que um coração que sofre de doença cardiovascular.

Outro exemplo com uma consequência menos dramática mas ainda assim desagradável de remoção de amálgama é a pessoa que relatou que desde que retirou sua obturação de amálgama, surgiu grave dor em sua mandíbula / em seu maxilar, onde estava previamente a amálgama, e a dor se irradiava para sua cabeça e suas costas. Outro relato mencionou que, "enormes problemas começaram apenas quando ela teve sua(s) amálgama(s) removida(s) e anos de desintoxicação foram necessários até que se sentisse melhor outra vez“.

As experiências tais como a do Dr. Klinghardt, o caso de CMDI descrito acima, bem como outros apontam para a importância de seguir um protocolo estrito de proteção e quelação, quando da remoção das obturações de amálgama.

Sobre procedimentos seguros para remoção de obturações com amálgamas

Há algumas sugestões para se reduzir a extensão da exposição ao mercúrio, durante a remoção da amálgama. Elas incluem o uso de um dique de borracha, um aspirador para sugar ar e vapores de mercúrio para fora, etc. Além disso conselho nutricional é dado no sentido de fortalecer o corpo inteiro: nutrição excelente, a ingestão de certas ervas (coentro, alho, alho selvagem [Allium ursinum] e suplementos naturais (por exemplo algas clorela para ligar o mercúrio nos intestinos, pó Loclo – descrito como uma fibra de alta qualidade para prevenir a absorção de toxinas), vitamina C administrada em altas doses, inclusive por via intra-venosa, etc.

Já que o assunto de remoção de amálgamas (como visto nos exemplos acima do Dr. Klinghardt e o paciente com CMDI) é muito grave, por favor veja informação detalhada sobre os protocolos para a remoção segura de amálgama apresentada, por exemplo, pela The International Academy of Oral Medicine and Toxicology [Academia Internacional de Medicina Bucal e Toxicologia] (IAOMT, ver em inglês Links) com o objetivo de proteger tanto o paciente como a equipe odontológica3, como também outras fontes com experiência profunda no assunto que você sinta que pode confiar.

Esteja alerta: dentistas alternativos e/ou holísticos incompetentes podem trazer mais dano que benefício.

Como se tornou claro, do que foi acima mencionado, com a remoção de amálgama e outras medidas de desintoxicação bucal que requeiram a assistência de um dentista, „discernimento“ e a devida diligência ao escolher um profissional responsável que siga de perto os melhores padrões conhecidos é de suma importância. Veja também: Tenha cuidado com os dentistas auto-denominados alternativos/holísticos.

Se você não tiver dinheiro para consultar um dentista qualificado... (ou qualquer dentista)

Como você pode ver, do acima exposto, parece que é melhor conservar suas obturações de amálgama do que as ter removidas incompetentemente...Nesse caso sugiro que se empenhe para otimizar sua saúde (nutrição, estilo de vida, etc.) de sorte que seu corpo seja otimamente ajudado em seus contínuos esforços de desintoxicação (veja Nutrição como também a próxima página "Dicas sobre o que fazer quando obturações com amálgama de mercúrio e dentes tratados no canal têm de permanecer em sua boca“).

Notas de pé de página

1 Isso não significa que não haja algum – apenas não tenho conhecimento sobre ou que não venha a ocorrer algum, ao final, a menos que eu adote um protocolo completo de desintoxicação de mercúrio.

2 idiopático = de causa obscura ou desconhecida.

3 Por exemplo, dentre outras coisas o protocolo da IAOMT prescreve medidas como o uso de um dique de borracha, suprimento de ar por meio das fossas nasais, uso de broca de baixa velocidade com suprimento constante de água por meio de sua extremidade; se disponível, um exaustor de alta eficácia com filtro de carbono, etc. Ele também aconselha (a ser ingerido diretamente após a remoção da amálgama) a ingestão de quatro gramas de vitamina C (ácido ascórbico) e dois gramas de gengibre e dois gramas de açafrão, juntamente com pílulas de aspirina (ou salgueiro branco) e oito onças de leite de soja, como também preparar o seu corpo tomando dois gramas de clorela por refeição, a começar na noite ou manhã antes da sessão de remoção da amálgama.

4 Veja, por exemplo, o artigo Dr. med. Dietrich Klinghardt M.D., Ph.D. On Effective Holistic Heavy Metal Detoxification [Sobre a Desintoxicação Eficaz Holística de Metais Pesados, do Dr. Dietrich Klinghardt].

Artigos relacionados

Dr. Dietrich Klinghardt: sobre a toxicidade dental

On the dangers of dental amalgam (mercury) "silver" fillings (em inglês)

Mais sobre a desintoxicação dental

 
Copyright © 2020 CuraDente.com. Todos os Direitos Reservados.