Cura Dente
 
 
 

Embora tenha eu conhecido originalmente de uma fonte alemã[1] que a extração a água era aparentemente tão eficaz para fins terapêuticos (gerais) como o é a extração a óleo, dispomos agora de ao menos um pequeno estudo científico que indica que os dois podem em verdade ser considerados quase equivalente, com relação à sua capacidade de reduzir, dramaticamente, a quantidade de bactérias bucais e das placas dentais.

Foi levado ao ar no dia 28 de outubro de 2013, na série "Health Freaks"[2] do Canal 4 (Reino Unido), um experimento de 9 dias sob a supervisão de microbiologistas e dentistas do Instituto Eastman Dental Institute (Londres) que investigou os efeitos do bochecho prolongado com óleo de coco, frente ao bochecho com água destilada, com relação à quantidade de bactérias bucais e das placas, em 18 voluntários.[3]

Separados aleatoriamente em dois grupos de 9 indivíduos cada, os voluntários do primeiro grupo deviam bochechar vigorosamente com óleo de coco toda manhã durante 10 minutos, durante 9 dias, enquanto que o segundo grupo seguiu a mesma rotina usando apenas água destilada.

A fim de assegurar se haveria quaisquer mudanças no número de bactérias ao final do experimento, amostras de saliva foram coletadas e analisadas tanto no início como no final do período de nove dias e também diferenças na quantidade de placa foram averiguadas..

Prevavelmente para assegurar que os participantes seguiram corretamente as instruções, foram eles solicitados a criar vídeos caseiros que mostrassem sua rotina matinal de bochecho.

Resultados do estudo de 9 dias: extração a óleo versus extração com água destilada

Todos os participantes apresentaram uma redução maciça (80 por cento) na quantidade de bactérias que tinham na boca após nove dias de extração a óleo ou a água, respectivamente, com ambos os grupos apresentando resultados quase idênticos.

Embora os usuários de óleo de coco apresentassem uma redução um pouco maior na redução de bactérias nocivas, a vantagem foi excessivamente pequena para ser considerada estatisticamente significativa, i.e. não permitiu a conclusão de que tenha sido o óleo de côco que provocou a diferença.

Todos os participantes apresentaram uma redução também nos níveis de placa, novamente sem nenhuma vantagem para o grupo que usou o óleo de côco.

Em resumo, o estudo não conseguiu demonstrar qualquer diferença significativa entre a capacidade da extração a óleo e daquela com água destilada para reduzir o número de bactérias bucais, antes a queda na quantidade de bactérias deveu-se ao simples ato de bochechar fortemente o fluido através dos dentes durante dez minutos, a cada manhã.

Sobre o uso experimental de água destilada, ao invés de água de torneira

A água destilada provavelmente foi usada a fim de eliminar qualquer distorção dos resultados devida a diferenças na qualidade da água usada por cada participante.

A reação do Instituto Eastman Dental Institute

Surpreendemente, contrariamente ao relato veiculado na TV[2], o Instituto afirma em sua página-web que o experimento demonstrou que o bochecho com óleo de côco durante nove dias não diminuiu a placa dental e também não se apresentou efeito algum no número de bactérias, em razão do bochecho, já que o estudo não incluiu um terceiro grupo (de controle) que não realizasse o bochecho/lavagem.

O Instituto sugeriu que a redução observada na quantidade de bactérias pode ter sido devida ao fato de que os participantes possam ter melhorado suas rotinas „normais“ de higiene bucal, além de realizarem o bochecho, já que „não era incomum que participantes em estudos de higiene bucal observarem melhor higiene quando sabem estarem sendo estudados.“

Que a extração a óleo (ou a água) em si tenha tido papel principal, senão decisivo, no declínio do número de bactérias parece ser corroborado, entretanto, por vários estudos científicos (aleatórios, controlados e até em modalidade triplo-cego) sobre os benefícios à saúde dental da extração a óleo, como também por muitos testemunhos pessoais (veja Extração a óleo para saúde [dental]).

A propósito, o Instituto Eastman Dental Institute também deixou de mencionar que Alan3, que relatou haver curado seu problema de gengivas com sangramento com a extração a óleo de côco, também disse que não mais necessitou de novas obturações desde que adotou esse procedimento. 

Comparando o uso de água e de óleo

Admitindo-se que o vigoroso bochecho com água (ou com chá de ervas) possa ter o mesmo efeito desintoxicante que aquele advinda da mesma prática com óleo, o primeiro possui, obviamente, várias vantagens inclusive as seguintes:

  • a água é quase sempre disponível
  • a água é muito mais barata que o óleo
  • o uso da água traz grande alívio aos sistemas de tratamento de esgoto (se você usar óleo, assegure-se de cuspi-lo num guardanapo, a fim de proteger o ambiente)
  • como se faz com o óleo, também se pode adicionar várias ervas terapêuticas para melhorar seu sabor e/ou eficácia.

Mais sobre o óleo de côco para os dentes (em inglês)

Veja Another tooth-friendly oil? Virgin coconut oil

Notas de pé de página

1 O importante livro pelo Erika Herbst "Die Heilkunst von Morgen" [As Artes Terapêuticas do Amanhã]
2 apresentada por três médicos
3 O ensaio/experimento foi desencadeado por Alan, um dos convidados do programa, homem com 43 anos de idade, que atribuiu a cura de sua gengivite à prática de extração com óleo de côco. Ele também relatou que não necessitou de mais nenhuma nova obturação, desde que começou a rotina, enquanto que anteriormente recebeu muitas obturações em seus dentes.

Mais sobre cuidados dentários & higiene oral naturais e não-tóxicas

 
Copyright © 2021 CuraDente.com. Todos os Direitos Reservados.