Cura Dente
 
 
 

Para otimizar a cura dentária e outras e num esforço em corrigir deficiências nutricionais anteriores (sim, inclusive aquelas que sustentamos quando crescíamos no útero materno, veja Minerais e Oligoelementos), parece aconselhável comer uma dieta nutritiva rica em minerais e com foco em alimentos crus, com base em alimentos orgânicos1, e regularmente incluir algas marinhas e melaço como “suplementos” de superalimentos naturais.

A propósito, a vantagem de usar alimentos, ao invés de suplementos minerais isolados para adicionar minerais ao seu corpo é dupla. Uma vantagem reside no equilíbrio de elementos provido nos alimentos. Embora o uso de minerais isolados e de oligoelementos possa ser de valia, há uma possível preocupação em se tomar em demasia algo bom e já que esses elementos tendem a “competir” entre si, incorrer numa deficiência noutro elemento vital, em razão da overdose daquele ingerido. A outra vantagem é a biodisponibilidade, que, em resumo, constitui o fato de que o corpo pode apenas ou completamente fazer uso dos minerais providos em forma “orgânica”2. (Em verdade, frequentemente há uma terceira vantagem relacionada ao fato de que, geralmente, os alimentos são mais baratos que os suplementos preparados pelo homem.)

Nota especial: para auxiliar seus dentes e ossos a usarem adequadamente do suprimento rico de minerais oferecidos nos alimentos seguintes, assegure-se de ingerir quantidades suficientes de Vitamina D, A e K2 (três vitaminas solúveis em gordura, sobre as quais se descobriu que agem em sinergia na utilização de minerais).

Melaço orgânico:
uma fonte abundante de minerais alcalinalizadores

O melaço orgânico é uma fonte abundante de minerais e de oligoelementos (assegure-se de comprar orgânico para evitar pesticidas e outros elementos nocivos, se não puder consegui-lo, o melhor seria consegui-lo não sulfurado.) O melaço escuro parece ter alto conteúdo de minerais devido às raízes longas que se aprofundam na terra. Além disso, seu espectro mineral é especialmente rico em minerais alcalinizantes como cálcio, magnésio, potássio e ferro e assim ajuda a contrapor condições ácidas que parecem ser a causa de muitos males físicos, inclusive deterioração dos dentes.3 Em verdade, pode-se afirmar que ao consumir melaço escuro, está-se devolvendo ao corpo aquilo que dele se negou ao comer açúcar e alimentos processados.

Não é de surpreender que, considerando a importância de minerais e oligoelementos, o melaço é tido como possuidor de vários benefícios de saúde, um deles o de conservar o cabelo escuro como escuro ou em verdade restaurar sua cor original.

Os preços, na minha experiência, variam grandemente, mas se você pesquisar (por exemplo, na inernet), poderá encontrar fontes de melaço de qualidade, bem barato.

Dicas de como adicionar melaço escuro à sua dieta

Pessoalmente uso duas maneiras de preparar receitas/lanches com melaço:

  • misturar com leite (incluindo soja, arroz, almôndega, aveia e outros leites vegetarianos, não animais), tanto a cor como o sabor lembram o cacau (você poderá querer adicionar baunilha, mas ele tem ótimo sabor para mim, in natura)
  • coma-o com iogurte (talvez adicionando mel ou outro adoçante, particularmente o açúcar xilitol, cariostático)

Outras sugestões

  • assar biscoitos com melaço
  • bebê-lo com suco de lima
  • dissolvê-lo na água quente e refrigerá-lo, para uso como bebida refescante de verão
  • ou, mais simplesmente, coma uma ou duas colheres de sopa dele, com água, como primeira coisa a fazer, de manhã.

Se você pesquisar receitas com melaço, encontrará algumas combinações, como biscoitos (eg biscoitos com gengibre), bolos, chá ou misturado com água quente como chá), adicionado ao café, em substituição ao açúcar (se você consome café, naturalmente), bolos macios, com feijões cozidos, manteiga de amendoim, passado sobre torrada, rolinhos amanteigados, sobre frutas, etc. Ou, simplesmente, experimente!4

Para retirar muito do gosto um pouco azedo do melaço, você pode misturá-lo com outros adoçantes, eg 50/50 com mel – uma solução menos favorável aos dentes, mas aparentemente o melaço evita que o mel cristalize tão rapidamente como o faz. Ou misture-o com quaisquer tooth-friendly sugars [açúcares favoráveis aos dentes, link em inglês] que não possuem, eles próprios, uma variante amarga.

Algas marinhas – a fonte mais rica e barata de minerais e oligoelementos assimiláveis, no planeta Terra

As algas marinhas, em várias formas, constituem um alimento fundamental dos japoneses, há muito tempo. Constitui uma parte importante da dieta macrobiótica, que é tida como possuidora de vários benefícios terapêuticos, até mesmo em casos de câncer.5

As algas, embora uma fonte completa e barata de todos os minerais e oligoelementos conhecidos do oceano, e a mais rica fonte de minerais assimiláveis (biodisponíveis) do planeta, ao menos em seu estado cru (e portanto, altamente recomendado por mim), podem conter metais pesados (as algas são, em verdade, usadas como bioindicadores de poluição por metal por causa de sua habilidade registrada de acumular metais pesados nas paredes celulares). Assim, quando comprar alga marinha, assegure-se de indagar sobre sua origem.

A propósito, mas importante, o rico conteúdo de iodo nas algas marinhas ajuda o corpo a se desintoxicar de flúor, bromato, cloro (todos halogêneos tóxicos) e, aparentemente, até mercúrio. (O iodo também tem o crédito de ter benefícios poderosos contra câncer e sua prevenção, mais em inglês aqui.)

As algas deveriam estar disponíveis em qualquer loja de produtos naturais. Podem também ser compradas em lojas chinesas e afins, especializadas. Entretanto, fui advertida que as algas de lojas chinesas e especializadas afins podem ser não seguras, já que eles não têm controle de qualidade com relação a níveis de contaminação por metais pesados (Penso, no entanto, que a contaminação perpétua por metais pesados provida por se ter obturações metálicas – especialmente a amálgama de mercúrio – na boca de alguém, constitui um assunto mais grave.6)

Testemunho de cura de cavidade dentária com alga marinha

"Quando vivi na Grande Manan, comia uma alga vermelha chamada dulse (cultivada de maneira sustentável numa pequena ilha no meio da Baía de Fundy) em grande quantidade e meus dentes eram absolutamente perfeitos...não havia mais cáries...mas quando me mudei e o meu suprimento de dusle diminuiu...minhas cáries voltaram.” A Dulse (Palmaria palmata) aparentemente é mais suave no gosto que outros tipos de algas. Outra alga vermelha é a nori (espécie: Porphyra) que parece ser mais comumente encontrada nas lojas e realmente tem sabor agradável (segundo meu gosto).

Algumas dicas e informações adicionais:
como pode facilmente integrar algas em sua dieta

Dica #1: Comprar a alga “mais limpa” que encontrar, triturá-la no seu liquidificador, derramar o resultante pó preto num misturador de sal ou outro prato e misturá-la com sal marinho. Use essa mistura como você usa normalmente sal (no caso de usar sal, se não quizer usar a mistura, simplesmente use o pó da alga como condimento, como um rico suprimento diário de minerais e oligoelementos.)

Dica # 2: Por razão de aumento da bioavailability [biodisponibilidade dos minerais], você poderá desejar consumir algas processadas cruas.

Dica # 3: Às vezes adiciono alga semelhante a macarrão (a que mais compro tem o sal marinho natural ainda nela) a pratos de macarrão esfriados ou a trituro num liquidificador, juntamente com vegetais crus e batatas cozidas com casca.

Dica # 4: Menores quantidades de alga marinha suave, não salgada, como a nori podem ser também trituradas em pratos doces (à base de frutas,etc) e saborosos, preparados num liquidificador. Ela o enriquece e não deixa virtualmente “rastro” de sabor ao prato.

Dica # 5: Para encontrar várias receitas com algas, você poderia comprar um livro de cozinha macrobiótico, procurar receitas macrobióticas ou explorar a cozinha japonesa. Certa vez comi macarrão soba com alga hijiki cozida e um molho feito com mistura de tamari (molho de soja) com tahini (manteiga de gergelim) e estava muito delicioso.

Dica # 6 - Extra: Você pode misturar melaço com alga marinha fazendo um pó da alga (apenas a ponha num liquidificador até que se pulverize), então misturando os dois e misturando os dois e tomando numa colher de chá ou colher de sopa (ou o que sinta ser adequado) como um suplemento. Você pode também por da mistura num copo d'água e bebê-la (ou “disfaçá-la num bolo, etc)

Dica # 7: Se você verdadeiramente não tolera alga marinha, poderá triturá-la e pô-la em cápsulas. Uma maneira relativamente rápida e fácil de fazê-lo é usar um enchidor de cápsulas. E se você procurar esse ou outro qualque item pela via dos links de CuraDente estará simultaneamente apoianda esse sítio-web sem custo extra para si, veja Apóie esse sítio.

Cascas de ovo

Casca de ovo quebrada ou em pó parece afetar positivamente dentes cariados (veja os resultados obtidos em ratos e mencionados em Transporte do fluido dentinal - teoria revolucionária sobre resistência natural à cárie e cariogênese). Em verdade, há um artigo que circulou amplamente na internet, que diz que o uso (interno) de cascas de ovo orgânico, combinado com bochechos à base de raiz de confrei fará com que renasçam dentes.7

Há muitas maneiras em que as pessoas têm usado casca de ovo, simplesmente finamente moída ou dissolvidas em suco de limão para melhoria (provavelmente) da biodisponibilidade dos minerais. A colaboradora do site, JR, compartilha a seguinte receita saborosa:

Ponha o pó de casca de ovo numa mistura de tahini-misô. 2-3 colheres de tahini, uma colher de sopa de misô branco suave, uma colher de sopa de suco de limão ou laranja lima, um pouco de alho esprimido, água suficiente para formar uma pasta macia. Adicione uma colher de chá de pó de casca de ovo e coma-a com colher ou adicione-a a alimentos. Saborosa! O tahini tem também muito cálcio e outros minerais (compare em inglês Calcium-rich plant foods).

Dilema ético sobre o uso de casca de ovo

Há, entretanto, um enorme dilema ético sobre o uso de casca de ovo, que é o motivo de eu quase nunca comprar ovos. Dentre as principais razões temos:

Na produção industrial de ovos (donde vêm a maioria dos ovos, hoje) os pintinhos recém nascidos são tratados com gás, sufocados, esmagados ou picados, sem mesmo lhes dar um anestésico, logo após saírem do ovo já que eles não são “economicamente viáveis” (eles não põem ovos e não engordam suficientemente rápido para serem “usados” como grelha). Isso significa aproximadamente muitos milhões de pintos por ano morrendo de forma horrível. A propósito, a mesma prática se dá na produção orgânica de ovos (Como verifiquei pessoalmente na federação alemã Demeter - Demeter [Agricultura Biodinâmica] é o rótulo orgânico com os padrões mais rigorosos de todos os rótulos orgânicos, mas como se pode ver, ele segue a prática comum de negócio quando se trata de produção de ovos.

Se você quizer adicionar casca de ovo à sua dieta, sem participar dessa inconcebível crueldade animal, vejo atualmente apenas três opções.

  • Crie suas próprias galinhas, sem crueldade.
  • Peça aos amigos que não deixarão de consumir ovos para que separem suas cascas para você.
  • Encontre e resgate ovos descartados. Embora possa parecer surpreendente, ovos fazem parte daqueles alimentos que mesmo em ótimo estado, são jogados em cestos de supermercados. A razão? Quando numa caixa de ovos, um deles é avariado (mesmo levemente), ao invés de se vender os ovos individualmente, a caixa inteira é descartada, após cancelada [já que essa é a maneira mais econômica de proceder e o alimento é considerado apenas outra mercadoria ( não a salvadora e aprimoradora de vidas que é ou pode ser). No geral, cerca de metade de toda a produção de alimentos no mundo ocidental termina nas lixeiras (veja eg www.tristramstuart.co.uk/FoodWasteFacts.html [www.tristramstuart.co.uk/Fatos sobre desperdício de alimentos.html] e http://freegan.info/) enquanto que nossos irmãos e irmãs em outras partes do mundo morrem de fome e de doenças correlatas numa taxa de um em cada período de poucos segundos.

Último mas longe do menos importante: assegure-se de assimilar adequadamente seu alimento

Sem uma digestão adequada e completa, não importa o quão nutritiva seja sua dieta, pouco dela chegará em verdade às suas células. Para assimilar adequadamente seu alimento, inclusive minerais e vitaminas nele contidas, seu sistema digestivo tem de produzir ácido hidroclórico suficiente, como também enzimas digestivas. Desconforto intestinal como gás ou constipação são sinais de que você não está assimilando adequadamente seu alimento. Há várias formas de lidar exitosamente com a indigestão/carência de digestão apropriada, inclusive com o uso de ervas.8

Notas de pé de página

1 enquanto que elimina ou minimiza os Alimentos para lidar com cuidado, em benefício de seus dentes.

2 Sobre informações fundamentais, veja por exemplo Bioavailability: the science behind “live” and “dead” minerals [Biodisponibilidade, a ciência por trás de minerais "vivos" e "mortos"].

3 Procure os brilhantes vislumbres do Dr. Herbert Shelton em cáries que são causadas por um desequilíbrio no metabolismo do cálcio, e para uma lista dos alimentos mais alcalinizantes, Acid-Forming & Alkaline-Forming Food Table [Tabela dos Alimentos Acidificantes & Alcalinizantes] e esse Alkaline/Acid Ash Chart (pdf) [Quadro de Cinzas Alcalinas/Ácidas (pdf)] que mostra os alimentos que devem ser mais ingeridos para se equilibrar os efeitos acidificantes de certos alimentos, de estresse, etc.

4 Precaução aos pacientes com hemocromatose: não consuma melaço escuro se você sofre dessa rara condição de “excesso de ferro”.

5 Compare por exemplo On macrobiotics & cancer healing [Sobre a macrobiótica & cura do câncer].

6 Mais em a inteira seção sobre Obturações dentárias e [em inglês] em Sobre os perigos das obturações de amálgama.

7 Mais sobre o confrei em Alternativas à pasta de dentes (role até "Raiz de Confrei [Symphytum officinale radix])".

8 Mais e.g. em On food & supplement absorption, intestinal flora, cancer and immune system (it’s not what you ingest, but what you properly absorb) [Sobre absorção de alimentos & suplementos, flora intestinal, câncer e sistema imunológico: não é o que você ingere, mas o que você absorve adequadamente].

Nutrição e saúde dentária: todos os artigos de CuraDente

 
Copyright © 2020 CuraDente.com. Todos os Direitos Reservados.